noo bai e outras conversas

Estou já há três dias em Lisboa mas hoje foi o primeiro em que saí efetivamente de casa para passear pela cidade “menina e moça”.

O passeio começou pela zona das Docas, com a ‘degustação’ de um bifinho (ou deveria dizer bifão?) ao molho Portugália e terminou no incrível ‘noo bai café’, no topo do Miradouro do Adamastor, com belíssima vista para o Tejo.

O percurso por Lisboa  também me levou algumas vezes ao Japão. Passeando pelo Chiado, acabei indo parar na recente aberta Muji, uma loja japonesa de apresentação ‘clean’, talvez até demasiado, e artigos aparentemente pouco especiais.

Durante o passeio pude ainda avistar vários turistas nipônicos, como sempre empunhando os mais recentes modelos de câmeras fotográficos e vários guias de Lisboa em japonês.

No final do percurso, saboreando um chá indiano (chá preto com leite e especiarias) à luz do pôr-do-sol de inverno no Tejo, folheei distraidamente a ‘Time Out’ Lisboa. Reparei então que a crítica gastronômica da edição desta semana debruçava-se sobre o interessantíssimo ‘Kampai’, um restaurante japonês ‘com um menu inspirado pelos Açores’. Infelizmente o texto criticava negativamente o espaço pelo tratamento que era dado aos empregados. Apesar disso, com uma breve pesquisa no Google descobri que o local foi eleito como o melhor japonês de 2010 em Lisboa pelo site ‘Rotas&Destinos’. Independentemente das críticas, despontou-se em mim uma curiosidade em conhecer essa fusão gastronômica nipo-açoriana.

E finalmente, ainda no processo distraído de folhear a referida revista, acabei sendo ‘avisada’ da coleção de Arte Namban em mostra no Museu do Oriente. Dedicada à exposição de ‘obras de pintura, escultura, cerâmica, mobiliário, laca, ornamentos e objetos de culto produzidos após a chegada dos portugueses ao Japão, da última metade do século XVI até à primeira metade do século XVII’, a coleção enquandra ‘o fenômeno namban do ponto de vista da encomenda, dos circuitos existentes, dos mercados a que se destinava e dos agentes que lhe estiveram associados’ (TimeOut Lisboa, nº 168, p. 44). Já está mentalmente agendada a visita para uma ocasião propícia a passeio nas Docas, com parada obrigatória no Museu do Oriente.

Noobai café
Miradouro do Adamastor (Santa Catarina), Lisboa
Terça a Quinta 12h > 21h, Sexta e Sábado 12h > 24h, Domingo 12h > 20h
Contato: 21 346 50 14
http://www.noobaicafe.com/ 

Muji
Rua do Carmo 63-75, Lisboa
http://www.muji.com/ 

Kampai
Calçada Estrela 37, Lisboa
Contato: 213971214 

Encomendas Namban. Os Portugueses no Japão da Idade Moderna
Museu do Oriente – Avenida Brasília, Doca de Alcântara (Norte), Lisboa
Terça a Domingo das 10h às 18h. Sexta das 10h às 22h.
Contato: 213 585 200
http://www.museudooriente.pt
Anúncios